30 de dezembro de 2011

Feliz Ano Novo! A festa da virada em Nova York

TIMES SQUARE  NEW YEAR'S EVE  2011     -     Times Square, Manhattan NYC   -   12/31/10 & 01/01/2011


Reveillon em Nova York

A virada do ano na Times Square é uma das mais famosas do mundo, mas precisa ser corajoso para encarar:

- aquela multidão de milhões de pessoas;
- o frio que pode chegar a uns menos 15 graus;
- as longas horas de espera (uma média de 8 horas, se você quiser ficar num bom lugar);
- a impossibilidade de comer algo ou ir ao banheiro.

Quem nunca ficou exposto por horas a temperaturas negativas não tem ideia de como isto é ruim, mas se você estiver com disposição e um casaco bastante reforçado, desejo-lhe coragem para passar o reveillon na Times Square.


Confira a programação deste ano, no dia 31/12:

15:00 - a região é fechada para o tráfego e a polícia começa a organizar a multidão por seções. Quanto mais cedo você chegar, melhor será a sua visão da festa.
18:00 - a bola da Times Square é erguida.
18:03 até 18:13 - cerimônia de abertura, com dança do leão
18:20 - começa a distribuição de chapéus, bexigas e cachecóis para a festa.
19:18 em diante - haverá apresentações de música, com Justin Bieber, Lady Gaga, Pitbull, Diego Torres, um potpourri do musical da Broadway "Rock of Ages", entre outras atrações.
23:59 - começa a contagem e, quando chega a meia noite, desce a bola da Times Square.

Você pode conferir em detalhes tudo que ocorrerá nesta noite no site oficial da virada na Times Square.

http://www.timessquarenyc.org/events/new-years-eve/index.aspx

Central Park na virada do ano

New Year's Eve in Central Park

O Reveillon é a oportunidade para muitos restaurantes e bares meterem a faca nos turistas e cobrarem preços exorbitantes. É muito difícil encontrar algum divertimento gratuito ou barato nesta data, e é aí que entra a festa no Central Park.

A multidão, muito menor da que vai para a Times Square, se reúne na concha acústica perto da Besthesda Fountain, na altura da rua 72 do East Side. A festa é gratuita.

O bom é que não precisa chegar tão cedo. Se você for para o Central Park por volta 22:30, já encontrará bastante gente, mas mesmo assim ainda há espaço para se mover. Há concurso de fantasias, algumas apresentações de grupos pouco conhecidos, mas o clima é descontraído e todo o mundo se diverte bastante. Aparentemente, a maior parte do público é de nova-iorquinos, que foge da loucura turística da Times Square.

(clique na foto para ampliá-la)

Fogos de Artifício

Exatamente à meia-noite, ocorre uma linda queima de fogos, que deixa aquela do 4 de julho no chinelo. São uns 20 minutos de fogos, de várias cores e que podem ser vistos de vários pontos do parque, sem aglomeração nem tumulto.
É o momento do início da corrida da meia-noite, quando centenas de pessoas percorrem um trecho de alguns quilômetros pelo Central Park.

E, assim como ocorre na maioria das festas nos EUA, há hora para começar e para acabar. Logo após a queima de fogos, todos vão embora. O mesmo ocorre na Times Square. Meia hora depois, a prefeitura já começa a limpar as ruas e não resta uma alma para contar a história.

(clique na foto para ampliá-la)

Tudo que posso dizer é que, para aqueles que pretendem passar o Reveillon em Nova York mas ainda não sabem o que fazer nem querem se meter na Times Square, a festa no Central Park é uma ótima alternativa.
Está longe de ser tão badalada, mas é diversão garantida.

É a certeza de uma festa legal, sem empurra-empurra.

26 de dezembro de 2011

Apple invade a Grand Central, em Nova York


Boa parte do segredo do sucesso da Apple é que eles não cansam de surpreender os seguidores da marca. A nova grande jogada da empresa em Nova York foi abrir a maior loja da rede dentro de um dos cartões-postais da cidade, a Grand Central Station.

A ideia é criar uma nova experiência para os compradores, pois, além da possibilidade habitual de testar os produtos da Apple, como computadores, tablets e telefones celulares, visando principalmente os vários milhares de usuários diários dos trens, a nova loja também oferece um mini curso de 15 minutos para quem quiser conhecer mais sobre a empresa e suas mercadorias.

Se a Grand Central já era uma das visitas obrigatórias em Manhattan, com a nova loja da Apple você terá mais uma razão para passar por lá, conhecer os lançamentos e também dar uma checada na internet.

E como no subsolo está é uma das principais estações de metrô de Nova York e também é o ponto de partida para um dos roteiros de bairro a bairro (Midtown East) proposto por nós, há grandes chances que você acabará passando várias vezes por esta loja da Apple.

Loja da Apple Grand Central
http://www.apple.com/retail/grandcentral/


***

21 de dezembro de 2011

Natal em Nova York: o que você não pode perder

Rockefeller Center Chistmas tree

Durante o Natal, a cidade de Nova York fica toda decorada.

Esta é uma época bastante procurada pelos turistas, tanto por causa do clima natalino quanto por causa das compras e das promoções em várias lojas. Andar pelas ruas de Nova York em dezembro é reviver cenas de filmes e realizar o sonho de muitos de ver essa cidade decorada como em nenhuma outra época do ano. A cidade fica encantadora e o clima de natal toma conta das pessoas. Por isso, nós do Viagens para Mãos de Vaca separamos para vocês o que a cidade tem de melhor nesta época.


O que você não pode deixar de ver:

- A vitrine da Macy`s, na rua 34 com a Sexta Avenida;
- A árvore de Natal do Rockefeller Center e a decoração das lojas da Quinta Avenida (como da Saks Fifth Avenue);
- O show de luzes na Grand Central (a cada meia hora);
- As feirinhas de Natal na Union Square e no Bryant Park;
- Patinar no gelo no Bryant Park, no Rockefeller Center ou no Central Park.

Christmas in New York

- Assistir ao show das Rockettes, no Radio City Musical Hall;
- Parar para ver os cantores de Natal no metrô, ou nas estações (não se esqueça de dar pelo menos um dólar);
- Tirar uma foto com o Papai Noel da Macy's (no oitavo andar da loja, até o dia 24 de dezembro, às 5:30)
- Assistir à missa de Natal na St. Patrick Cathedral (a missa da meia noite do dia 24 é só para quem tem ingressos, mas as do dia 25 são abertas ao público)
Para mais informações: http://www.saintpatrickscathedral.org/

Para aqueles que estarão em Nova York não se esqueçam de levar o seu Guia Nova York para Mãos de Vaca, que é companhia obrigatória para qualquer época do ano.

Artigo publicado no site Melhores Destinos no dia 19/12/2011


***

17 de dezembro de 2011

Tirando fotos de sua viagem como um profissional

Cala a Boca e Clica! - Curso de Introdução à Fotografia

Aproveitando o lançamento do Curso de Introdução à Fotografia do Cala a Boca e Clica!, vamos lhes dar algumas dicas para tirar fotos de suas viagens como se você fosse um profissional, deixando seus amigos e parentes de queixo caído.

1 - escolhendo a câmera certa para você

Câmera Reflex

Não adianta nada você sair comprando aquela câmera hiper-mega-ultra-superpoderosa, se você não souber como utilizá-la bem, nem esteja disposto a aprender como usá-la.
Também não vá muito atrás dos vendedores de câmeras (a única exceção são os da B&H Photo, em Nova York, que são verdadeiros experts), pois geralmente eles não entendem nada de fotografia nem de câmeras.
Se você é apenas um hobbista, que só fotografa em datas especiais e não quer se dedicar muito à fotografia, uma câmera compacta ou uma compacta avançada já é mais do que o suficiente.
No entanto, se você prefere dar um passo além, compre uma Reflex da Canon ou da Nikon e comece a estudar.

2 - aprenda a mexer em sua câmera

Camera compacta

Assim que você comprar uma câmera nova, experimente bastante antes de sair fotografando sua viagem ou algum evento (isto se você se profissionalizar). Leia o manual da câmera do começo ao fim e descubra quais são as funções dela.
Aprenda a controlar o equilíbrio de branco (White Balance), controle de Exposição (Exposure), ISO e, se ela tiver Modo Manual, onde ficam os controles de velocidade do obturador e abertura de diafragma.

Se eu estiver falando grego para você, está na hora de ler o Curso de Introdução à Fotografia.

3 - selecione os melhores horários do dia

East Village

Meio-dia é o pior horário para se fotografar, pois as sombras ficam fortes demais e as pessoas ficam com "olhos de panda".
O ideal é escolher uma das duas "horas douradas", isto é, o nascer ou o pôr do sol, ou fotografar de manhã e à tardezinha, pois a iluminação é mais bonita e as sombras mais agradáveis.
Dias nublados também são ótimos para fotografar retratos.

Intro 12 - Brooklyn Bridge

Já fotografia noturna é um mundo à parte. A maioria das câmeras compactas tem um péssimo desempenho em situações com pouca iluminação e você terá um monte de fotos borradas se não tiver um tripé.

4 - aprenda a compor uma bela foto

Regra dos Terços

Os princípios de composição podem ser utilizados por qualquer pessoa, esteja ela com uma câmera boa ou com uma porcaria.

A Regra dos Terços poderá melhorar bastante o enquadramento das suas fotos, basicamente, basta dividir o quadro de uma imagem em nove seções (como a foto acima) e posicionar o tema principal, a pessoa, a atração turística, o animal, ou qualquer outra coisa, nas interseções das linhas.
Quase sempre centralizar o tema da foto é sinônimo de uma imagem sem graça.

Lower East Side

Além disto, explore diferentes pontos de vistas e utilize linhas, formas, cores e perspectiva para criar uma hierarquia de interesse numa foto.

5 - tire fotos de tudo

Tony Roma`s de Lima

Incorpore o tipo "dedo nervoso" e tire fotos de tudo. Tire fotos dos prédios, de sua família com os prédios, das pessoas nas ruas, dos animais, das lojas, das comidas, do bilhete de entrada no museu, do mercado, tire fotos de longe e de perto, de cima e de baixo, tire o maior número de fotos possíveis (e sempre carregue um cartão de memória extra!).

Homeless in NY subway

Quanto mais fotos você tirar, melhor você ambientará sua viagem depois e mais fácil será para se lembrar pode onde você passou e o que tanto você viu. E ainda poderá dar belas risadas das cenas estranhas que vivenciou.

6 - descarregue sua câmera diariamente (se possível)

Se você é como a gente, que carrega o notebook para onde vamos, o ideal é sempre passar as fotos para o computador no final de cada dia de sua viagem. Assim, você evita encher o cartão de memória e perder tempo, e às vezes imagens preciosas, tendo de repassá-las todas procurando quais você pode apagar.

7 - só mostre para as pessoas as melhores fotos

Times Square

Controle-se e não cometa o erro de mostrar para seus amigos todas as 1500 fotos que você tirou da sua viagem para a Disney.
Primeiro, porque ninguém tem saco para prestar atenção em todas, depois porque, com certeza, haverá dezenas de fotos iguais ou muito semelhantes. Selecione apenas umas 30, somente as melhores de todas, e mostre aos outros apenas estas fotos.
Quanto melhor você escolher, mais as pessoas ficarão impressionadas com suas fotos.

Lembre-se, tanto os fotógrafos bons quanto os ruins tiram fotos ruins, mas os bons fotógrafos são aqueles que só mostram as fotos boas.

8 - Compre o Curso de Introdução à Fotografia do Cala a Boca e Clica!

Cala a Boca e Clica! - Curso de Introdução à Fotografia

Se você se interessa por fotografia, mas acha que é muito complicado para aprender sozinho e acha caro pagar um curso, compre então o Curso de Introdução à Fotografia do Cala a Boca e Clica!

Ali, você encontrará todas as informações, desde como escolher a melhor câmera fotográfica para você, tods os fundamentos e as principais técnicas para obter fotos melhores, além de vários exercícios práticos.

Suas fotos nunca mais serão as mesmas!


Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.

12 de dezembro de 2011

Nordstrom Rack na Union Square - Compras em Nova York


Se você estiver dando uma passada pela Union Square, provavelmente já enlouquecerá com a grande variedade de lojas ao redor da praça, como a Strawberry, Babie'R'Us, Gamestop, Best Buy, Forever 21 e assim por diante.


No entanto, não se esqueça de dar uma passadinha na Nordstrom Rack, logo ao lado da megastore da Best Buy.
Esta não é uma loja tão grande, mas é possível encontrar bons preços e ótimos produtos se você souber procurar. A loja é organizada e com uma localização excelente.

É um bom complemento para compras nesta região, que não é muito badalada pelos turistas, mas que certamente vale a visita.

Para chegar, você pode desembarcar com o metrô na estação Union Square, com os três 4, 5, 6, N, R, Q e L, ou na estação da 14th St, com o trem F.

Site oficial da Nordstrom
http://shop.nordstrom.com/


Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.

10 de dezembro de 2011

Cusco para Mãos de Vaca - Qorikancha, o legado dos incas em Cusco

Qorikancha, Cusco, Peru

Junto com a Plaza de Armas e a fortaleza de Sacsayhuaman, visitar Qorikancha é um dos três passeios obrigatórios de Cusco. Conselho de amigo: você não pode ir para lá e não visitar Qorikancha!

Este foi um dos principais templos do Império Inca e os relatos dos colonizadores informavam que o templo era completamente recoberto de ouro, das paredes ao chão, e nos jardins havia várias esculturas de ouro maciço, inclusive Qorikancha quer dizer, em quechua, "Jardim Dourado".

Qorikancha, Cusco, Peru

Posteriormente, os espanhóis construíram um edifício sobre as ruínas dos templos incas, com um grande pátio, mas mantendo a estrutura do muro inca, que pode ser visto de fora pelas vielas de Ahuacpinta.

Qorikancha, Cusco, Peru

Mesmo assim, escavações trouxeram à tona partes da estrutura do templo inca, que sobreviveram a séculos de colonização, com a extraordinária arquitetura dos povos pré-colombinos.

Qorikancha, Cusco, Peru

Você pode contratar um serviço de tour que o leve a Qorikancha e depois a Sacsayhuaman, assim você será acompanhado por uma guia que lhe explicará vários detalhes das ruínas, inclusive mostrando-lhe a menor pedra de todo o templo, cuja função ninguém sabe explicar até hoje.

Qorikancha, Cusco, Peru

A entrada ao complexo lhe dá acesso também ao belíssimo jardim sagrado, talvez um dos locais mais lindos de Cusco.

Qorikancha, Cusco, Peru

A entrada custa aproximadamente 3 dólares e é uma das atrações mais interessantes da antiga capital do Império Inca.
Se você estiver com um grupo turístico, provavelmente terá em torno de 40 minutos para ver tudo, o que é pouco, principalmente porque também há uma interessantíssima exposição de obras de arte espanhola, mas que pouca gente parece dar importância.
Se você for por conta, é o tipo de passeio que pode tomar umas 2 horas ou mais do seu dia, para você realmente aproveitar tudo de maravilhoso que há em Qorikancha.

Qorikancha, Cusco, Peru

Nos subterrâneos do jardim, há um pequeno museu que pode ser visitado com o Boleto Turístico, já a entrada do complexo de Qorikancha deve ser pago à parte.

Qorikancha fica a poucas quadras da Plaza de Armas e você pode chegar lá descendo pela Avenida Sol, ou pela viela Loreto, que, na minha opinião, é muito mais fascinante, pois você passa por muralhas incaicas, por moradores vendendo artesanato e até por um jardim onde pastam umas lhamas.

Qorikancha
Plaza Santo Domingo
Aberto de segunda a sábado das 8:30 às 17:30, e aos domingos das 14 horas até as 17h.
Entrada custa em torno de 3 dólares.


Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.

8 de dezembro de 2011

Blogagem coletiva: meus 7 links

Tanto o Aventura Mango quanto Se Pluga no Mundo nos convidaram para participar da Blogagem Coletiva, que tem o objetivo de unir os blogueiros de várias áreas diferentes, criando um post nos quais eles falam de 7 links de seus blogs.

Não costumo participar de correntes virtuais, mas esta me parece ser interessante. Então vamos lá!

Times Square

1. Seu post mais Bonito
Gosto muito da série Nova York, bairro a bairro, pois reúne boa parte das dicas da cidade que estão espalhadas em várias postagens. Um dos artigos desta série que eu acho o mais bonito é o da Times Square.

2. Seu post mais Popular
De longe, o post mais popular é o índice das dicas de Nova York para Mãos de Vaca, pois são inúmeras dicas de Nova York num só lugar, mas quase sempre as dicas de compra atraem público imenso.

3. Seu post que gerou mais discussão/controvérsia
Estátua da Liberdade, programa de índio? sempre causa alguma comoção, pois tem viajantes que consideram uma passada na Estátua como imprescindível, enquanto outros preferem passar só de longe. Geralmente, quem vai pela primeira vez a NY, agarra-se mais à necessidade de ver a Estátua da Liberdade de perto. Quem já foi mais de uma vez não quer nem saber.

4. O post que ajudou/ajuda mais gente
Provavelmente é o de como chegar ao outlet Jersey Gardens, quase não há explicação sobre isto em outros lugares. Mas o Jack's World dividiria o espaço, pois foi o nosso maior achado em Manhattan.

5. O post que o sucesso te surpreendeu
A cotação do peso argentino e o melhor câmbio é um sucesso estranho, pois passa de longe em visitação das dicas de atrações turísticas de Buenos Aires.

6. O post que não recebeu a atenção que deveria
Eu sempre me decepciono com a repercussão das postagens de museus, como do Prado, ou do Metropolitan Museum.
Acabo pensando que só eu gosto de ir aos museus.

7. O post que você tem mais orgulho
Acho que os da série Código de ética não-verbal dos nova-iorquinos, pois é muito difícil resumir a cultura e o comportamento de um outro povo em tão poucas linhas.



7 blogueiros:

Aqui está a lista dos 7 blogueiros que eu estou nomeando para fazerem sua lista dos 7 links. Não é obrigatório, se você não quiser participar, apenas me avise que eu tiro seu nome e substituo por outra pessoa. Leia as regras aqui. Os links indicam os blogs que já fizeram os posts.

Blog de viagens
Eu acredito em cosméticos
Mãe mochileira, filho malinha
Viajando com a família Souza
A Viagem Certa
Revista SAMIZDAT
Quatro Cantos do Mundo


***

4 de dezembro de 2011

Paris para Mãos de Vaca - informações básicas

Torre Eiffel, Paris

Se você for passar suas próximas férias em Paris, é sempre importante ter uma noção básica do que você encontrará.
Paris é um dos maiores destinos turísticos do planeta e, nos períodos de alta temporada, recebe pessoas de todas as nacionalidades, que invadem as principais atrações da cidade, os hotéis, os restaurantes e os cafés.

Chegando a Paris

Você provavelmente desembarcará num dos dois principais aeroportos da cidade, Charles De Gaulle ou Orly.

Desde o aeroporto Charles De Gaulle, você pode pegar um trem para algumas estações partindo dos terminais T3 e T2. O bilhete custa 9,10 euros e as máquinas para comprar as passagens do trem só aceitam moedas. Se você for pagar em notas, terá de encarar os guichês e comprar diretamente com os atendentes. Você precisa usar o bilhete tanto para embarcar no trem, ou seja, passar na catraca e guardá-lo, quanto para sair. Caso algum fiscal lhe peça, você deve mostrar seu bilhete, ou pagar uma multa.
O tempo médio da viagem do aeroporto até Paris é de uns 40 minutos.

Desde o aeroporto de Orly, a maneira mais rápida para chegar a Paris é com o Orlyval, um trenzinho que conecta os terminais do aeroporto e que lhe permitirá fazer conexão com o trem RER B a partir da estação Antony, que o levará para a região central da cidade. A passagem custa 9,85 euros, já incluindo o transfer para o RER.
O tempo de viagem é de uma meia hora.

Agora, se você cair na desgraça de chegar ou partir pelo aeroportinho de Beauvais (isto porque você já deve ter tido ou terá um voo do inferno pela Ryanair!), você terá de pegar um ônibus e viajar por quase uma hora até a cidade.
O ônibus chega e parte de Porte Maillot, de um estacionamento que não é muito fácil de encontrar se você não conhecer a área, o negócio é sair perguntando para as pessoas de onde sai o ônibus, que uma hora você encontra.
A passagem do ônibus custa 15 euros por pessoa e a viagem pode demorar mais de 1 hora dependendo do trânsito de Paris.


Comunicando-se em Paris

Se você não for fluente em francês, a comunicação pode ser complicada.
Não são muitos os moradores que falam inglês, e os que falam nem sempre estão dispostos a ajudar. Incrivelmente, nem mesmo os funcionários de alguns quiosques de informação turística falam inglês!

Ou seja, estude um pouco algumas frases básicas antes de embarcar, principalmente sobre como pedir informação, pois você precisará. Em nossa experiência por Paris, os imigrantes africanos foram os que se mostraram os mais dispostos a dar informações, mas, em dúvida, procure um policial e peça informações (em francês!).

Apontar no mapa e usar a linguagem de sinais é (quase) universal e também pode ajudá-lo a se virar. Não menospreze o poder do gestual.

Escolhendo onde se hospedar

Jardin des Tulleries, Paris


Paris é dividida em 20 distritos adminstrativos conhecidos como arrondissements.
Estes distritos são numerados e começam no Louvre, que é o primeiro arrondissement, e prossegue em espiral pelas demais regiões da cidade.

Algumas das áreas favoritas dos turistas para se hospedar são: Opéra (IXe arrondissement), Élysée (8e arrondissement), Panthéon (5e arrondissement, onde fica o Quartier Latin) e Palais-Bourbon (7e arrondissement).

É óbvio que quanto mais próximo do centro você ficar, e assim mais perto também das principais atrações turísticas, mais caro você pagará por sua hospedagem. Por outro lado, quanto mais distante você ficar, mais tempo gastará se deslocando, além de acabar ficando em regiões menos seguras ou menos interessantes.

Cuidado com os golpes

Paris é famosa também pelos inúmeros golpes praticado contra turistas.
Desde ciganas, a mesas de jogos, a surdas-mudas pedindo dinheiro para uma instituições de caridade, de anéis caídos no chão até batedores de carteiras.

Fique muito atento para os grupos de africanos na subida da Catedral de Montmartre, assim como os imigrantes do leste-europeu que fazem golpes no caminho entre a Tulleries para Champs Élysées. Outro ponto de concentração destes malandros é a Torre Eiffel.

Na verdade, em qualquer região turística de Paris você tem de ficar de olho aberto para os golpistas.
Se algum se aproximar, basta se afastar e ignorá-los.

Aproveite o romantismo

O ideal para ir a Paris é sempre ter uma boa companhia contigo, principalmente se for a pessoa amada.

Esta é uma cidade encantadora, com vários parques, bancos e locais para ficar sentado, admirando a paisagem, fazendo um piquenique e beber um vinho.

No verão, escurece tarde, então dá para aproveitar todo o dia na rua.
Já no inverno, a cidade fica toda iluminada e cheia de charme, apesar do clima não ajudar muito.

Se você for mão de vaca, optará por comprar seus lanches em mercados ou nas feiras de rua e sentar-se num parque para comer ao ar livre. No entanto, estiver muito frio, esta não é das melhores opções, então desembolse um pouco mais e se dê o luxo de relaxar num café ou de comer num restaurante.


Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.

1 de dezembro de 2011

Resto Norte, comendo muito bem e pagando pouco em Buenos Aires

Resto Norte - Buenos Aires

Se você quer comer muito bem em Buenos Aires e pagando um mixaria por isto, certamente você passará longe de Puerto Madero, onde estão alguns dos restaurantes mais luxuosos e caros da cidade.

Para encontrar as barbadas gastronômicas da capital portenha, você terá de se embrenhar naquelas portinhas frequentadas apenas por locais, onde a comida será melhor e muito barata.

Resto Norte - Buenos Aires

Um destes achados é o Resto Norte, um restaurante logo ao lado da pizzaria mais famosa de Buenos Aires, El Cuartito.
Na hora do almoço, é uma luta para conseguir uma mesa entre os incontáveis executivos e moradores da área, que aparecem diariamente para encherem o bucho com os pratos saborosíssimos do Resto Norte.

Resto Norte - Buenos Aires

Os preços dos pratos começam em uns 7 dólares e vão aumentando aos poucos, mas nada que chegue a ser exorbitante. As porções são caprichadas e servem duas pessoas com fome (a não ser que você seja um troglodita!).
No entanto, se você quiser garantir, peça uma massa junto, como o tradicional noque do dia 29.

Para você ter uma ideia, um prato como o acima, um pollo napolitana (frango empanado com presunto, queijo, acompanhado de fritas), dá para nosso almoço de duas pessoas.

Resto Norte - Buenos Aires

Agora, você só tem de tomar cuidado com os preços das bebidas, e isto vale para qualquer restaurante de Buenos Aires. Se você adicionar um refrigerante ou um vinho, o valor da sua conta pode ir para as estrelas! Em alguns restaurantes, a bebida chega a custar até mais cara do que o próprio prato principal, mesmo que seja uma água.

Mesmo assim, um almoço normal para duas pessoas, com prato principal, uma massa e um refrigerante para duas pessoas dificilmente custará mais do que 20 dólares. É um preço quase imbatível nesta região central da cidade, ainda mais para refeições deliciosas e com qualidade.

Resto Norte
Calle Talcahuano 953, entre as ruas Marcelo T. Alvear e Paraguay, a uma três quadras de distância do Teatro Colón.


Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.



guias NY .PDF