22 de fevereiro de 2015

Vida de Nômade: Mudança para a Inglaterra


Estamos novamente de mudança.

Nesta semana, vamos pôr todas as nossas coisas de novo no carro e seguir para a Inglaterra. Estivemos em Manchester por um tempinho para conhecer e a cidade e procurar uma casa para morar e, agora, de volta à Madri, vamos começar uma viagem de vários dias, cruzando a Espanha, a França e o sul da Inglaterra até onde será a nossa nova residência.

Ainda prepararemos um vídeo explicando todo o processo de mudança, porque escolhemos Manchester, mas abaixo seguem algumas observações iniciais sobre a cidade.

Impressões de Manchester

1 - Os ingleses são extremamente educados. Você se desacostuma a ouvir "por favor", "com licença" e "desculpe-me" ao viver na Espanha.

2 - Ao contrário de Londres, em Manchester a maioria dos habitantes ainda é de ingleses.

3 - O clima é uma merda. Muito parecido com o de Curitiba.

4 - Manchester é bonita, feia e suja ao mesmo tempo, mas não tão feia e suja quanto Nápoles, nem tão bonita quanto Nápoles.

5 - O custo de vida é bastante baixo; praticamente 1/3 do custo de Londres, e em muitos aspectos até mais barato do que o de Madri.

6 - Tudo na cidade gira em torno da Revolução Industrial, afinal de contas, foi onde começou; em Manchester foram construídas as primeiras fábricas, a primeira ferrovia, onde Marx e Engels se encontraram para refletirem sobre a exploração do proletariado.

7 - Não é à toa que a arquitetura é funcional. Tudo tem aspecto de fábrica ou armazém.

8 - Aparentemente, é mais fácil e barato ir e voltar de qualquer lugar da Europa do que ir e voltar de Londres.

9 - Todos os britânicos ficam assombrados quando falamos que estamos nos mudando da Espanha para lá, afinal de contas, este é o destino de sonho deles para se viver.

10 - Eles adoram criança. Todos os lugares são adaptados para cadeirantes ou pessoas com dificuldades de locomoção. Tudo é feito para integrar as pessoas.

11 - Os bêbados estão por todos os lados, em qualquer horário do dia.

12 - Os ônibus são sujos, mas muito eficientes. Às vezes ficam três da mesma linha enfileirados esperando os passageiros.

13 - O estilo de vida é muito parecido com o dos EUA, excetuando que o sistema de saúde é ótimo e parece haver mais segurança. Não há a obsessão dos americanos por armas.

14 - Para os locais, há regiões muito perigosas e que deveriam ser evitadas. Eles provavelmente não têm a menor ideia do que é viver num lugar perigoso.

15 - A comida é super gordurosa.

16 - Os ingleses são bastante simpáticos, mesmo quando são antipáticos.

17 - Alguém precisa ensiná-los urgentemente para que serve a escova de dentes...

18 - Há edifícios do século XVIII que parecem ter sido construídos ontem, enquanto há edifícios novos que parecem ter sido construídos no século XVIII.

19 - As moedas não fazem sentido algum. As de 1 de penny são pequenas, de 2 pence são enormes, de 20 pence são pequenas, de 1 libra são pequenas, de 2 libras são grandes.

20 - Tudo está passando por reforma; dois shoppings serão inaugurados no centro, uma porção de lojas e restaurantes novos, ofertas de empregos para todos os lados.

21 - Você pode jogar Playstation e X-Box na biblioteca pública.

22 - A cidade não é pretensiosa; é cool sem querer ser cool. Lembrou-me Berlim.


Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.

8 de fevereiro de 2015

E o New York Pass compensa?

New York Pass logo
Já falamos aqui do NY City Pass, um passe para algumas atrações turísticas que supostamente o ajudaria a economizar bastante na hora de passear por Nova York. Vimos que as coisas não funcionavam bem assim e que, mesmo se você fosse apenas às atrações mais caras, a economia seria de apenas 2 dólares, no final das contas.

Só que agora vamos falar do New York Pass, outro passe para várias atrações de Nova York, com entrada gratuita para mais de 80 pontos turísticos e passeios, por um prazo determinado, por 1, 2, 3 ou 7 dias consecutivos.

Os preços (para adultos) do passe são:

1 dia - 85 dólares
2 dias - 130 dólares
3 dias - 153 dólares
7 dias - 195 dólares

As atrações incluem destinos conhecidos, como o Metropolitan Museum, o Museu de História Natural, a Estátua da Liberdade, o Empire State, e outros não tão conhecidos, como o Jardim Botânico do Brooklyn, o Museu do Sexo, ou o Van Cortland House Museum. Sem dúvida, a variedade de atrações do New York Pass é bem maior do que o NY City Pass e a liberdade de escolha também, além disto também há a vantagem de cortar as filas, o que é ótimo em alguns pontos turísticos.

The New York Pass--Admission to 70 of New York City's top attractions, starting at $65 per day!


Que bom! Mas o NY Pass vale a pena?

Só o fato de você ter uma gama muito maior de possibilidades de atrações já é um ponto a favor do New York Pass, assim você pode selecionar o que lhe agrada e entrar "de graça" (bem, eu não definiria 85 dólares como entrada franca).
No entanto, como dissemos no dica sobre o NY City Pass, várias destas atrações são com entrada sugerida, ou seja, você paga quanto quiser, ou têm dias na semana com entrada gratuita. Se você souber se programar, uma boa parte das atrações incluídas neste pacote já seria de graça mesmo, ou muito baratas.
Além disto, viajar e passear não deveria ser uma maratona desesperada para ver a maior quantidade de coisas no menor tempo hábil.
O legal das viagens é sentir o ritmo das cidades nas quais você está, penetrar no espírito de seus habitantes, ver o que há de turístico, mas descobrir também o que os moradores gostam de fazer ou onde eles gostam de ir.
Por isto, é óbvio que você jamais conseguiria ver todas as 80 atrações disponíveis no New York Pass num único dia, pois estão em bairros distantes, abrem em horários diferentes e, em muitos casos, tomam bastante tempo do visitante que quiser realmente aproveitá-las.


Então, qual é a melhor maneira para aproveitar o seu New York Pass?

Se eu fosse você e fosse comprar o New York Pass, eu segmentaria por área cada uma das atrações e veria quais são as mais caras, que não são entradas sugeridas ou que não tem dias gratuitos. Por exemplo, em Midtown, eu prepararia um roteiro com o Museu de Cera Madame Tussauds (U$ 36), alguma exposição na Discovery Times Square (U$ 27) e o Intrepid (um museu dentro de um porta-aviões, por U$ 24) no horário da manhã, e, depois do almoço, um tour pelo Carnegie Hall (U$ 10), um tour pelo Radio City Music Hall (U$ 24,50), um tour pelos estúdios da NBC (U$ 24) e acabaria com o pôr-do-sol no Top of the Rock (U$ 29).

Façamos a conta com os valores cheios das entradas: 36 + 27 + 24 + 10 + 24,50 + 24 + 29 = 175.5 dólares

Ou seja, comprando um New York Pass de 85 dólares (para um dia), você economizaria 90,50 dólares. Mesmo se você só incluísse o Museu de Cera, o porta-aviões e o Top of the Rock, já estaria economizando quase 4 dólares (porém, se você tiver cupons de desconto, sairá mais barato sem o passe...).
O roteiro acima é cansativo, mas é possível de ser feito num dia.
Para valer a pena, você tem de reunir as atrações mais próximas (e as mais caras) e fazer o cálculo de quanto estará economizando. Somente assim valerá realmente o investimento.

Site oficial do New York Pass
New York Pass

Mais uma dica: eu tiraria os grandes museus, como o Metropolitan Museum e o Museu de História Natural de um roteiro como o sugerido acima, pois eles são entrada sugerida e porque tomam muito tempo de visita, também não incluiria destinos no Bronx ou no Brooklyn, pois são longe de Manhattan e você perderia muito tempo se deslocando (o zoológico do Bronx toma um dia inteiro de passeio e é com entrada sugerida às quartas).
A Estátua da Liberdade também toma quase o dia inteiro, por isto também não é uma boa ideia comprar o New York Pass para isto.

Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.

11 de janeiro de 2015

Frankfurt, Mainz e Wiesbaden, três cidades alemãs que merecem a sua visita


Na Europa estão algumas das cidades mais procuradas por turistas de todo o mundo: Paris, Londres, Roma, Veneza, Amsterdã, Barcelona...

No entanto, em nossa experiência passando pelas grandes e pequenas cidades europeias, podemos dizer que algumas das grandes surpresas estão nas pequenas e (quase) intocadas cidades. É realmente quando você entra no espírito europeu, tendo contato com os locais e sendo obrigado a falar a língua deles... ou se comunicar com gestos.

Quando se fala em Frankfurt, a primeira coisa que vem à mente de muitos é o seu movimentado aeroporto, uma das principais portas de entrada à Europa, e poucos dedicam um tempinho para conhecer a cidade, que além de ser ums dos grandes centros financeiros da Alemanha, possui também um lindinho centro histórico e várias cidades ao redor que merecem a visita.

Abaixo estão três vídeos que fizemos na região, onde localizam-se Frankfurt, Mainz e Wiesbaden.

Frankfurt


Frankfurt é a quinta maior cidade da Alemanha, e possui o segundo aeroporto mais movimentado da Europa continental. Para que viaja com empresas low-cost, há também o aeroporto de Hahn, que é bastante distante de Frankfurt.

O centro da cidade é um misto de modernidade e tradição, com eficiente sistema de transporte, que incluir metrô (U-Bahn), trens metropolitanos (S-Bahn), tram e ônibus.
Da estação de trem é possível caminhar até o pequeno setor histórico, que está passando por uma enorme restauração atualmente.

Mainz


Mainz é uma cidade bastante antiga, do tempo dos romanos (há algumas ruínas deste tempo para visitação), mas é mais conhecida por ter sido onde Johannes Gutenberg inventou a imprensa por volta de 1450, revolucionando a História da humanidade.

É uma cidade bastante organizada e acolheradora.

Está a 40km de Frankfurt e, de trem, leva pouco mais do que meia hora.

Wiesbaden


Pelo que percebemos, há uma certa rivalidade entre qual é a cidade mais bonita, se é Mainz ou Wiesbaden. Não conte para ninguém, mas preferimos Mainz!

De qualquer modo, Wiesbaden é também muito simpática, com uma torre em homenagem à fortificação onde ficava a cidade original fundada pelos romanos.
Ela era muito conhecida por suas águas termais e, durante séculos, as pessoas vinham para aí por causa disto.
Também está a 40km de Frankfurt e, de trem, leva uns 45 minutos até lá.

É possível fazer estas três cidades em dois dias: 1 dia para Frankfurt, e 1 dia para Mainz e Wiesbaden. A melhor opção para se deslocar entre estas duas cidades é comprar o Hessenticket, que custa 32 euros, vale para até cinco pessoas para viajar por toda a região de Hessen durante um dia, ilimitadamente, e inclui também o transporte dentro das cidades.

De Frankfurt também é muito fácil apanhar um trem e prosseguir, subindo pelo Rio Reno para Koblenz, Colônia e Dusserdorf.


Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.

4 de janeiro de 2015

30 recomendações para economizar durante o ano


Desde sua criação, o maosdevaca.com dedicou-se a apresentar dicas sobre como economizar em suas viagens.
Todavia, o hábito de gerenciar bem sua grana não é algo que se adquire do dia para a noite;  ninguém aprende a cuidar de seu dinheiro com inteligência se não aplica, diariamente, alguns princípios muito básicos de economia.

Abaixo, seguem 30 recomendações para você economizar durante o ano e, de uma maneira ou outra, nós seguimos quase todas elas, quase intuitivamente. Algumas destas sugestões são óbvias, mesmo assim muita gente tem dificuldades para segui-las, outras serão surpreendentes para alguns, mas que podem fazer muita diferença ao longo do ano.
Só lembrando que, para nós, ser mão de vaca não tem nada a ver com ser mesquinho, mas somente em dar valor ao seu suado dinheiro, que, infelizmente, ainda não cresce em árvores.
Distribuir seu dinheiro e economizar poderá proporcionar-lhe aquela viagem dos sonhos, um carro novo ou a casa própria.
A meta é você quem deve estabelecer, mas é preciso fazer sacrifícios e contar com a colaboração de toda a família para isto.

1 - Faça um orçamento mensal de seus ganhos e gastos

O primeiro passo essencial é saber quanto você ganha e quanto gasta por mês. Já diria a canção clássica de Paulinho da Viola: "dinheiro na mão é vendaval", ou seja, se você não parar para fazer os cálculos, a grana vai desaparecer sem você nem perceber como.

Para isto, você pode ter um caderno ou uma planilha no excel, onde você incluirá todos os seus ganhos numa coluna: salário, bicos, se vendeu alguma coisa de valor, e assim por diante.
Numa outra coluna, somar os seus gastos: aluguel, prestação do carro ou da casa, luz, telefone, água, condomínio, parcelamentos, mensalidade da escola ou da faculdade, despesas de mercado, transporte, e por aí vai.

Se seus gastos forem maiores do que seus ganhos, você tem um sério problemas em mãos. É esta a hora de tesourar o que der até as contas baterem.

2 - Cortes as despesas supérfluas

Todos nós gastamos com besteiras, vez ou outra, ou compramos alguma coisa da qual não tínhamos necessidade.
Uma vez feita a contabilidade de ganhos e gastos, você terá de iniciar os sacrifícios. Realmente precisa jantar fora ou pedir pizza em casa todos os finais de semana? Não está gastando demais com luz, telefone, ou supermercado?

Saiba que se pode cortar um pouco em praticamente todos os gastos mensais. Talvez isto o ajude a equilibrar as contas, ou a sobrar mais dinheiro no fim do mês.

3 - Fuja do cheque especial ou de empréstimos

O fundo do buraco é quando o sujeito cai no cheque especial, em empréstimos bancários ou de financeiras.
Daí para o abismo sem volta é um pulinho.
Os juros do cheque especial e de empréstimos são absurdos (até 230% ao ano em alguns bancos) e podem virar uma bola de neve. Depois, pode acabar entrando no círculo vicioso de fazer empréstimo para pagar empréstimo.
Se o aperto for muito grande, é melhor pedir emprestado dinheiro para um parente (bem, isto também depende do parente!).

4 - Cuidado com os parcelamentos

Parcelar as compras, ou mandar um cheque pré-datado, faz parte da cultura do brasileiro. Isto é um perigo se você não souber controlar bem seu orçamento.

Primeiro, porque nem sempre a promessa de X vezes sem juros significa que você estará economizando, pois os juros podem estar embutidos no preço do produto. O ideal é chorar por um desconto à vista e, caso não houver, pensar se vale a pena ou não parcelar.

Para mim, é inconcebível que pessoas parcelem as compras do mercado, por exemplo, pois você terá parcelas e mais parcelas se acumulando ao longos dos meses que, em algum momento, equivalerão ao preço à vista das compras.

O melhor mesmo é sempre pagar à vista, como diria minha vó: "se tem dinheiro, compra; se não tem, não compra".

5 - Quarde os trocados num porquinho, ou numa poupança

Sabe aqueles centavos que sobraram da padaria, do posto de gasolina, ou da lanchonete?

Então, assim que voltar para casa, ponha-os num porquinho, ou num pote de vidro, e vá guardando a moedas até enchê-lo. Talvez leve alguns meses, ou até um ano, para isto, mas, quando você for somar todas as moedas, terá uma bela grana guardada.

Outra alternativa é por uns 10 ou 20 reais por semana numa poupança (ou num fundo de investimento do banco). Pode não parecer nada, mas, no final do ano, 10 reais todas as semanas serão 480 reais economizados, isto sem contar os juros.
Se você fizer isto por muitos anos, terá uma bela poupança. Só para se ter uma ideia, 40 reais mensais num fundo por 50 anos com 10% de juros anuais dão mais 700 mil reais.

E é lógico que, quanto mais você guardar, quanto mais cedo começar e quanto mais alto forem os juros do investimento, melhor.

6 - Pesquise sempre os preços

Mão de vaca de verdade não deve ser preguiçoso. É preciso pesquisar muito para economizar, seja para comprar uma passagem aérea, um carro, uma geladeira ou uma calça jeans.
Os preços costumam variar muito de loja para loja e de mercados para mercados. Existem dias e épocas de promoções. Há promoções-relâmpago. Veja os classificados dos jornais ou na internet.

Se você quiser realmente gastar menos, terá bater perna à procura pelo melhor preço.

7 - Dê uma folga para seu cartão de crédito
credit cards

Não sei porque, mas muitas pessoas pensam que, se a grana acabou, é só passar no cartão de crédito que os problemas estão resolvidos.
Elas se esquecem que aqueles gastos terão de ser pagos no mês que vem, e que a conta pode ser amarga.
Deixar o cartão em casa é uma ótima opção para quem não resiste a uma tentação, pois, caso você realmente precise ou queira aquele produto, terá de voltar para casa e repensar.
Isto evita a compra por impulso.

8 - Conheça seus direitos como consumidor

Dá para devolver o produto, trocá-lo e quantos dias tenho para isto? O contrato é abusivo? Posso reclamar daquela taxa inesperada? Tive um problema, terei assistência?

Estas e muitas outras perguntas fazem parte do nosso cotidiano como consumidores e conhecer seus direitos é de grande auxílio para não cair em furadas e, também, para economizar.
Às vezes, você acaba gastando mais e tendo muitas dores-de-cabeça porque desconhece seus direitos.

9 - Pague as contas em dia

Os juros são muito altos no Brasil, por isto, evite atrasar o pagamento de contas, como de luz, telefone, aluguel, condomínio, etc.
Pagamentos com atraso é mais dinheiro que você terá de desembolsar.

10 - Apague a luz
turn off the lights

Esta é um das pequenas providências que, na somatória dos anos, faz muita diferença.
Apague a luz assim de sair de um cômodo ou de casa.
Para que deixar a TV ligada o dia inteiro se ninguém está assistindo, o ar condicionado ligado ou acessa a luz do quarto vazio?

11 - Quem se importa com marcas?

Explique-me, de maneira muito simples, qual é a fascínio das pessoas por certas marcas?

É evidente que muitas delas são símbolos de status e riqueza, mas você pode ter certeza que o chinês que costura aquela caríssima bolsa de marca é o mesmo que costura aquela do bacião.
Você está querendo provar o que para quem, afinal de contas?

O que importa é o seu próprio estilo, vestir o que você gosta, o que lhe cai bem, sem se importar com o preço. Gente elegante veste roupa de brechó e fica com um visual legal. Roupas caras não vão deixá-lo mais bonito nem mais rico, pelo contrário, vão deixá-lo mais pobre...

12 - Pare de fumar e se controle no refrigerante
soda

Cortar estes dois hábitos contribuirão, acima de tudo, para sua saúde (e para a das demais pessoas também, no caso do cigarro). No entanto, depois que você pôr na calculadora, verá como gasta bastante com isto.

Vejamos o caso do refrigerante, por exemplo: uma garrafa de 2 litros de uma marca conhecida custa uns 5 reais. Se você tomar duas garrafas por semana, durante o ano gastará quase 500 reais só com refrigerante.

Um maço de cigarro também não é nada barato e, se você for um fumante compulsivo, estamos falando de um gasto anual na casa de milhares de reais, sem contarmos os inevitáveis problemas de saúde que você terá no futuro, e todos os gastos que terá com médicos e remédios.

13 - Vá aos cinemas nos dias e horários com descontos, levando as besteiras de casa

Todos gostamos de ir ao cinema com os nossos amigos ou com a namorada, não é?

Entretanto, já faz um tempo que ir ao cinema se tornou uma diversão cara, pois a entrada tem preço alto e a pipoca não é barata, então, um programa de fim-de-semana acaba saindo os olhos da cara.

A solução é conferir quais são os dias e horários com descontos e seguir por aí, o que pode significar uma economia de 50% em algumas situações. Outra boa ideia é comprar as besteiras, doces e salgadinhos no mercado, pôr na mochila, e comê-los dentro do cinema. Sairá bem mais em conta.

14 - Opte por medicamentos genéricos

A maioria dos brasileiros já conhece as vantagens dos medicamentos genéricos, mas não custa reforçar.
Alguns remédios de fabricantes conhecidos até podem ser um pouco mais eficazes, mas, no geral, você está pagando mais caro pela marca.

15 - Faça lista de compras do mercado e tente ater-se à ela

Listas de compras possuem duas finalidades básicas:
1 - ajudá-lo a se lembrar do que é necessário comprar no mercado, e
2 - controlar seus impulsos.

Quando nos deparamos com uma grande variedades de produtos, todos deliciosos e atraentes, é fácil cair em tentação, por isto, se você tiver uma lista completa do que precisa, será mais simples resistir.

16 - Ir ao mercado com fome é a maior roubada

Faça um lanche, ou, melhor ainda, almoçe antes de ir ao mercado.

Quando você está com fome, acaba comprando muito mais comida do que deveria, pois é o estômago quem manda.

Ir com o bucho forrado pode reduzir o valor de suas compras em uns 20%.

17 - Experimente os produtos das marcas do mercado

Grandes redes de supermercados possuem produtos próprios, muito mais em conta e, às vezes, feitos pelos mesmos fabricantes de marcas conhecidas.
Você só saberá se são bons experimentando, além de haver produtos que não fazem tanta diferença assim: por que comprar guardanapos mais caro quando os do mercado custam metade?

18 - Reflita antes de comprar algo que você não está precisando

O ser humano é um animal muito passional, que age bastante muito por impulso. Uma das estratégias fundamentais para economizar é o usar o cérebro, para variar.

Eu realmente preciso disto? Já não tenho um igual em casa? Não está caro demais para o que vale?

Estas são perguntas que você deveria se fazer sempre antes de sair abrindo a carteira por aí.

Para que 10 pares de tênis se você só tem dois pés?

19 - Aproveite os preços de dia de semana dos restaurantes

Muitos restaurantes possuem preços diferenciados, mais caros, em finais de semana e feriados, ou no jantar.

Por isto, aproveitar para almoçar durante um dia de semana pode representar uma grande economia na refeição, além de ser muito mais tranquilo, sem a muvuca dos dias de folga.

Esta é uma regra que vale bastante no exterior também.

20 - Comprar usado pode ser uma ótima ideia

Muitas pessoas tem uma fixação pelo novo, embalado no plástico e brilhando. No entanto, toda vez que você comprar um produto novo, você pagará mais caro por isto.

Quando um casal está mobiliando uma casa, vale conferir o que há em lojas de eletrodomésticos e móveis usados, ou nos classificados, pois geralmente será possível encontrar ótimas barganhas.

Isto é algo que você descobrirá se tiver de se mudar bastante. Aquilo que você comprou novo, não vale quase nada na hora de vendê-lo.
Ruim para alguns, oportunidade para outros.

21 - Viaje na baixa temporada

Todo mundo viaja para os mesmos destinos nas mesmas épocas.

O que acontece, então?

Aumentam os preços de tudo: das passagens aéreas, da hospedagem, dos restaurantes, dos receptivos turísticos, e de tudo o mais. Pois há escassez para uma demanda excessiva.

As duas principais temporadas altas são nas férias do verão europeu e americano (julho e agosto), e as férias do verão brasileiro (dezembro e janeiro), além dos feriados mais importantes, como Natal, Ano Novo, Carnaval, Páscoa, entre outros.

Optar por viajar fora destas épocas é uma grande escolha para quem deseja preços mais baixos e mais tranquilidade, além de aproveitar climas melhores e mais amenos. Nossas recomendações são para viajar em maio ou outubro.

22 - Fique de olho nas promoções de passagens aéreas

Ao longo do ano, você se deparará com uma porção de promoções de passagens aéreas para vários destinos do Brasil e do mundo.
Se, por acaso, aparecer alguma boa promoção para o destino de seus sonhos, não pense duas vezes, porque não dá para saber quando isto ocorrerá novamente. E também não demore muito para se decidir, pois além de você, há vários outros milhares de viajantes loucos por uma barbada.

A melhor referência no Brasil em se tratando de promoções de aéreas é o site Melhores Destinos (www.melhoresdestinos.com.br). Fique sempre de olho para não perder uma grande oportunidade.

23 - Pesquise e planeje seus gastos de viagem

A sua melhor ferramenta de economia numa viagem é a pesquisa. Saiba o que você deve fazer e quanto vai gastar num destino muito antes de embarcar.
Atualmente, a internet é a maior aliada do viajante econômico. Você pode encontrar tudo sobre todos os destinos online, além de conferir os sites dos principais museus, restaurantes, hotéis e demais atrações turísticas.
E, se você estiver indo a Nova York, por exemplo, leve consigo o Guia Nova York para Mãos de Vaca, com o qual você poderá economizar até uns 40% dos seus gastos na cidade. Para Roma, há o Guia Roma para Mãos de Vaca.

24 - Leve o mínimo de bagagem

Mala só serve para atrapalhar no avião, no táxi, nas estação de trem e na rodoviária, por isto, o ideal é sempre viajar com o menor peso possível.
Isto evitará que você dance o samba do crioulo doido na hora de pagar excesso de bagagem, e, se você quiser trazer algumas bugigangas na viagem de volta para casa, terá espaço o bastante para tudo.

25 - Faça exercícios ao ar livre


Frequentar uma academia pode abocanhar uma boa grana todos os meses, que, no total do ano, somaria bem mais do que mil reais.
Uma alternativa é começar a praticar esportes ao livre, como corrida ou caminhada, de preferência acompanhado por amigos, que servirão de estímulo para manter a frequência.

26 - Dê carona (e divida o combustível)

Os preços dos combustíveis não param de subir, portanto, mais gastos todos os meses. Uma ótima ideia é dividir a gasosa com colegas de trabalho ou universidade e poupar um pouco mais.

27 - Descubra quais são os eventos e cursos gratuitos em sua cidade

Qualquer grande cidade, no Brasil ou no exterior, promove shows ou espetáculos gratuitos em determinadas épocas do ano, bem como cursos de aperfeiçoamento ou profissionalização a baixo custo (às vezes, só cobrando material didático).
Informe-se com a prefeitura, secretaria de cultura ou nos jornais quais são os eventos e cursos, e aproveite seu tempo livre para divertir-se sem gastar um tostão.

28 - Vá ao salão de beleza só quando for necessário

A mulherada adora um salão de beleza para se emperiquitar e botar a fofoca em dia. Porém, isto tem um custo que não é baixo.
Faça as unhas e hidratação em casa, e reduza a frequência no cabeleireiro para o essencial. Você verá que sobrará uma graninha à mais.

29 - Saiba poupar

Economizar dinheiro é um arte, que exige disciplina e alguns sacrifícios. Se você não for multimilionário, assim como a maioria das demais pessoas do planeta, já sabe que para cada escolha, devemos abrir mão de outras.
Poupar trata-se de priorizar, estabelecer uma hierarquia do que é mais importante no presente, ou no futuro.
Quer comprar uma casa? Um carro? Pagar a faculdade dos filhos? Viajar para Paris na lua de mel?

Tudo tem seu custo, e para isto é preciso distribuir bem sua renda. Se possível, divida-a em três partes:
1 - para a contas e alimentação,
2 - para educação e diversão e
3 - para economizar.

Se você conseguir distribuir bem seu orçamento, nunca faltará dinheiro para realizar seus projetos. Está aí a oportunidade para começar a tentar.

30 - Consumismo não está com nada

Vivemos numa era muito materialista, na qual você é julgado pelo que veste, onde come, o carro que dirige, ou o bairro no qual mora.
Felizmente, somos muito mais do que isto, temos qualidades e valores que nenhum dinheiro é capaz de comprar.
Será que não está na hora de descobrir a alegria de algumas coisas que não tem preço, ou que não custam nada?

Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.



guias NY .PDF