26 de março de 2015

Ibis Budget, rede de hotéis baratos na Europa


Uma das maiores economias que você pode fazer em sua viagem é cortando na hospedagem.

Se você estiver viajando pela Europa, há várias alternativas boas, sendo uma das mais populares o Ibis Budget.
Os quartos são pequenos e bastante práticos. Não há luxo, nem serviço de quarto, mas serve para o fundamental: dormir.
A faixa de preço dos hotéis da rede depende muito da localização, e geralmente se você for se hospedar na casa do chapéu, os preços podem cair bastante.


Neste vídeo acima, você pode ter uma ideia de como são os quartos, que são bastante padronizados pelos hotéis da rede.
Geralmente, quando viajamos, esta é a nossa primeira opção de hospedagem, pois sabemos que serão quartos limpos e simples, sem surpresas desagradáveis.

Confira no site da rede as disponibilidades e os preços de quartos em seu destino.
http://www.ibis.com/pt/portugal/index.shtml

Agora, se você quiser um lugar um pouco mais confortável, terá de pôr a mão no bolso e arcar com os custos disto. Entretetanto, se você estiver em um casal ou até em três pessoas, um quarto no Ibis Budget pode sair até mais econômico do que ficar em um hostel.


Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.

22 de fevereiro de 2015

Vida de Nômade: Mudança para a Inglaterra


Estamos novamente de mudança.

Nesta semana, vamos pôr todas as nossas coisas de novo no carro e seguir para a Inglaterra. Estivemos em Manchester por um tempinho para conhecer e a cidade e procurar uma casa para morar e, agora, de volta à Madri, vamos começar uma viagem de vários dias, cruzando a Espanha, a França e o sul da Inglaterra até onde será a nossa nova residência.

Ainda prepararemos um vídeo explicando todo o processo de mudança, porque escolhemos Manchester, mas abaixo seguem algumas observações iniciais sobre a cidade.

Impressões de Manchester

1 - Os ingleses são extremamente educados. Você se desacostuma a ouvir "por favor", "com licença" e "desculpe-me" ao viver na Espanha.

2 - Ao contrário de Londres, em Manchester a maioria dos habitantes ainda é de ingleses.

3 - O clima é uma merda. Muito parecido com o de Curitiba.

4 - Manchester é bonita, feia e suja ao mesmo tempo, mas não tão feia e suja quanto Nápoles, nem tão bonita quanto Nápoles.

5 - O custo de vida é bastante baixo; praticamente 1/3 do custo de Londres, e em muitos aspectos até mais barato do que o de Madri.

6 - Tudo na cidade gira em torno da Revolução Industrial, afinal de contas, foi onde começou; em Manchester foram construídas as primeiras fábricas, a primeira ferrovia, onde Marx e Engels se encontraram para refletirem sobre a exploração do proletariado.

7 - Não é à toa que a arquitetura é funcional. Tudo tem aspecto de fábrica ou armazém.

8 - Aparentemente, é mais fácil e barato ir e voltar de qualquer lugar da Europa do que ir e voltar de Londres.

9 - Todos os britânicos ficam assombrados quando falamos que estamos nos mudando da Espanha para lá, afinal de contas, este é o destino de sonho deles para se viver.

10 - Eles adoram criança. Todos os lugares são adaptados para cadeirantes ou pessoas com dificuldades de locomoção. Tudo é feito para integrar as pessoas.

11 - Os bêbados estão por todos os lados, em qualquer horário do dia.

12 - Os ônibus são sujos, mas muito eficientes. Às vezes ficam três da mesma linha enfileirados esperando os passageiros.

13 - O estilo de vida é muito parecido com o dos EUA, excetuando que o sistema de saúde é ótimo e parece haver mais segurança. Não há a obsessão dos americanos por armas.

14 - Para os locais, há regiões muito perigosas e que deveriam ser evitadas. Eles provavelmente não têm a menor ideia do que é viver num lugar perigoso.

15 - A comida é super gordurosa.

16 - Os ingleses são bastante simpáticos, mesmo quando são antipáticos.

17 - Alguém precisa ensiná-los urgentemente para que serve a escova de dentes...

18 - Há edifícios do século XVIII que parecem ter sido construídos ontem, enquanto há edifícios novos que parecem ter sido construídos no século XVIII.

19 - As moedas não fazem sentido algum. As de 1 de penny são pequenas, de 2 pence são enormes, de 20 pence são pequenas, de 1 libra são pequenas, de 2 libras são grandes.

20 - Tudo está passando por reforma; dois shoppings serão inaugurados no centro, uma porção de lojas e restaurantes novos, ofertas de empregos para todos os lados.

21 - Você pode jogar Playstation e X-Box na biblioteca pública.

22 - A cidade não é pretensiosa; é cool sem querer ser cool. Lembrou-me Berlim.


Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.

8 de fevereiro de 2015

E o New York Pass compensa?

New York Pass logo
Já falamos aqui do NY City Pass, um passe para algumas atrações turísticas que supostamente o ajudaria a economizar bastante na hora de passear por Nova York. Vimos que as coisas não funcionavam bem assim e que, mesmo se você fosse apenas às atrações mais caras, a economia seria de apenas 2 dólares, no final das contas.

Só que agora vamos falar do New York Pass, outro passe para várias atrações de Nova York, com entrada gratuita para mais de 80 pontos turísticos e passeios, por um prazo determinado, por 1, 2, 3 ou 7 dias consecutivos.

Os preços (para adultos) do passe são:

1 dia - 85 dólares
2 dias - 130 dólares
3 dias - 153 dólares
7 dias - 195 dólares

As atrações incluem destinos conhecidos, como o Metropolitan Museum, o Museu de História Natural, a Estátua da Liberdade, o Empire State, e outros não tão conhecidos, como o Jardim Botânico do Brooklyn, o Museu do Sexo, ou o Van Cortland House Museum. Sem dúvida, a variedade de atrações do New York Pass é bem maior do que o NY City Pass e a liberdade de escolha também, além disto também há a vantagem de cortar as filas, o que é ótimo em alguns pontos turísticos.

The New York Pass--Admission to 70 of New York City's top attractions, starting at $65 per day!


Que bom! Mas o NY Pass vale a pena?

Só o fato de você ter uma gama muito maior de possibilidades de atrações já é um ponto a favor do New York Pass, assim você pode selecionar o que lhe agrada e entrar "de graça" (bem, eu não definiria 85 dólares como entrada franca).
No entanto, como dissemos no dica sobre o NY City Pass, várias destas atrações são com entrada sugerida, ou seja, você paga quanto quiser, ou têm dias na semana com entrada gratuita. Se você souber se programar, uma boa parte das atrações incluídas neste pacote já seria de graça mesmo, ou muito baratas.
Além disto, viajar e passear não deveria ser uma maratona desesperada para ver a maior quantidade de coisas no menor tempo hábil.
O legal das viagens é sentir o ritmo das cidades nas quais você está, penetrar no espírito de seus habitantes, ver o que há de turístico, mas descobrir também o que os moradores gostam de fazer ou onde eles gostam de ir.
Por isto, é óbvio que você jamais conseguiria ver todas as 80 atrações disponíveis no New York Pass num único dia, pois estão em bairros distantes, abrem em horários diferentes e, em muitos casos, tomam bastante tempo do visitante que quiser realmente aproveitá-las.


Então, qual é a melhor maneira para aproveitar o seu New York Pass?

Se eu fosse você e fosse comprar o New York Pass, eu segmentaria por área cada uma das atrações e veria quais são as mais caras, que não são entradas sugeridas ou que não tem dias gratuitos. Por exemplo, em Midtown, eu prepararia um roteiro com o Museu de Cera Madame Tussauds (U$ 36), alguma exposição na Discovery Times Square (U$ 27) e o Intrepid (um museu dentro de um porta-aviões, por U$ 24) no horário da manhã, e, depois do almoço, um tour pelo Carnegie Hall (U$ 10), um tour pelo Radio City Music Hall (U$ 24,50), um tour pelos estúdios da NBC (U$ 24) e acabaria com o pôr-do-sol no Top of the Rock (U$ 29).

Façamos a conta com os valores cheios das entradas: 36 + 27 + 24 + 10 + 24,50 + 24 + 29 = 175.5 dólares

Ou seja, comprando um New York Pass de 85 dólares (para um dia), você economizaria 90,50 dólares. Mesmo se você só incluísse o Museu de Cera, o porta-aviões e o Top of the Rock, já estaria economizando quase 4 dólares (porém, se você tiver cupons de desconto, sairá mais barato sem o passe...).
O roteiro acima é cansativo, mas é possível de ser feito num dia.
Para valer a pena, você tem de reunir as atrações mais próximas (e as mais caras) e fazer o cálculo de quanto estará economizando. Somente assim valerá realmente o investimento.

Site oficial do New York Pass
New York Pass

Mais uma dica: eu tiraria os grandes museus, como o Metropolitan Museum e o Museu de História Natural de um roteiro como o sugerido acima, pois eles são entrada sugerida e porque tomam muito tempo de visita, também não incluiria destinos no Bronx ou no Brooklyn, pois são longe de Manhattan e você perderia muito tempo se deslocando (o zoológico do Bronx toma um dia inteiro de passeio e é com entrada sugerida às quartas).
A Estátua da Liberdade também toma quase o dia inteiro, por isto também não é uma boa ideia comprar o New York Pass para isto.

Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.

11 de janeiro de 2015

Frankfurt, Mainz e Wiesbaden, três cidades alemãs que merecem a sua visita


Na Europa estão algumas das cidades mais procuradas por turistas de todo o mundo: Paris, Londres, Roma, Veneza, Amsterdã, Barcelona...

No entanto, em nossa experiência passando pelas grandes e pequenas cidades europeias, podemos dizer que algumas das grandes surpresas estão nas pequenas e (quase) intocadas cidades. É realmente quando você entra no espírito europeu, tendo contato com os locais e sendo obrigado a falar a língua deles... ou se comunicar com gestos.

Quando se fala em Frankfurt, a primeira coisa que vem à mente de muitos é o seu movimentado aeroporto, uma das principais portas de entrada à Europa, e poucos dedicam um tempinho para conhecer a cidade, que além de ser ums dos grandes centros financeiros da Alemanha, possui também um lindinho centro histórico e várias cidades ao redor que merecem a visita.

Abaixo estão três vídeos que fizemos na região, onde localizam-se Frankfurt, Mainz e Wiesbaden.

Frankfurt


Frankfurt é a quinta maior cidade da Alemanha, e possui o segundo aeroporto mais movimentado da Europa continental. Para que viaja com empresas low-cost, há também o aeroporto de Hahn, que é bastante distante de Frankfurt.

O centro da cidade é um misto de modernidade e tradição, com eficiente sistema de transporte, que incluir metrô (U-Bahn), trens metropolitanos (S-Bahn), tram e ônibus.
Da estação de trem é possível caminhar até o pequeno setor histórico, que está passando por uma enorme restauração atualmente.

Mainz


Mainz é uma cidade bastante antiga, do tempo dos romanos (há algumas ruínas deste tempo para visitação), mas é mais conhecida por ter sido onde Johannes Gutenberg inventou a imprensa por volta de 1450, revolucionando a História da humanidade.

É uma cidade bastante organizada e acolheradora.

Está a 40km de Frankfurt e, de trem, leva pouco mais do que meia hora.

Wiesbaden


Pelo que percebemos, há uma certa rivalidade entre qual é a cidade mais bonita, se é Mainz ou Wiesbaden. Não conte para ninguém, mas preferimos Mainz!

De qualquer modo, Wiesbaden é também muito simpática, com uma torre em homenagem à fortificação onde ficava a cidade original fundada pelos romanos.
Ela era muito conhecida por suas águas termais e, durante séculos, as pessoas vinham para aí por causa disto.
Também está a 40km de Frankfurt e, de trem, leva uns 45 minutos até lá.

É possível fazer estas três cidades em dois dias: 1 dia para Frankfurt, e 1 dia para Mainz e Wiesbaden. A melhor opção para se deslocar entre estas duas cidades é comprar o Hessenticket, que custa 32 euros, vale para até cinco pessoas para viajar por toda a região de Hessen durante um dia, ilimitadamente, e inclui também o transporte dentro das cidades.

De Frankfurt também é muito fácil apanhar um trem e prosseguir, subindo pelo Rio Reno para Koblenz, Colônia e Dusserdorf.


Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.



guias NY .PDF