17 de novembro de 2014

Nova York, bairro a bairro - Times Square e Midtown West

Times Square - Nova York

Muita gente que viaja a Nova York já ouviu falar de vários pontos turísticos famosos da cidade, mas não tem ideia de onde estão localizados ou qual é a distância entre eles. Para ajudar estes viajantes, prepararemos um mapa bairro a bairro com as atrações mais interessantes da cidade, começando pela Times Square e por Midtown West.

Times Square - Nova York

Iniciamos nosso roteiro pela rua 42 e Broadway, onde fica a famosíssima Times Square, o coração turístico de Nova York.
Você poderá passar várias vezes por este cruzamento que não se cansará de ver as figuras mitológicas que a povoam, como o Naked Cowboy, a Naked Cowgirl, o Homem-Aranha, e uma vasta coleção de malucos, alguns trabalhando para as lojas e restaurantes da área, outros tentando fazer uns trocos com as contribuições dos turistas.
Outra atração, que está no clip do Jay-Z e Alicia Keys, é a escadaria da Times Square, de onde se tem uma ótima vista.
Lotada dia e noite por visitantes de toda a parte do mundo, a Times Square não é exatamente o lugar ideal para quem quer tranquilidade.

Ripley's Believe it or not - Nova York

É nesta região que estão localizados os museus Madame Tussauds, o Ripley's Believe it or Not, o Discovery Times, além de lojas e restaurantes famosos, como Hard Rock Café, Planet Hollywood, Toys'r'Us, as lojas da M&aM's, da Hershey's e da Disney.
Apesar de estar numa região quase estritamente turística, ainda há grandes barbadas na Times Square, como um dos guichês da TKTS, para quem quer comprar ingresso dos teatros da Broadway com desconto, os dois restaurantes rivais tamanho-família, o Tony's diNapoli e o Carmine's, além do extraordinariamente barato Dallas BBQ.


Outro restaurante sempre povoado de brasileiros é o Olive Garden, na rua 46 com Broadway, que não é exatamente barato, mas já vimos gente que vai lá para almoçar a farta salada grátis de entrada, e pede para embalar o prato principal para o jantar. Para quem curte um bar estilo americano, com telões para assistir a jogos, o Tonics também é ali perto.

Radio City Music Hall - Nova York

Neste nosso passeio por Midtown West, sugerimos que você vire na rua 47 em sentido leste, porém você também pode, se preferi, seguir pela rua 46, também conhecida como Little Brazil.
Siga em sentido norte pela Sexta Avenida e você logo chegará ao complexo do Rockefeller Center e também ao Radio City Music Hall, a famosa casa de shows onde, no Natal, apresentam-se as Rockettes.

Rockefeller Center - Nova York

O observatório do Rockefeller Center, o Top of the Rock, tem umas das melhores vistas de Manhattan e, no subsolo do prédio, há uma praça de alimentação com algumas deliciosas opções de refeição, como o Tri-Tip Grill, para os carnívoros.

Jekyll & Hyde - Nova York

Pela Sexta Avenida, você pode seguir tranquilamente até a rua 59, passando pelo Jekyll & Hyde, um restaurante caro, mal assombrado, com comida ruim, mas que é muito divertido, e chegando ao Central Park. Se estiver de dia e com um tempo agradável, você até pode se sentar na grama do parque e descansar um pouquinho, antes de retornar à rua 59 e seguir no sentido oeste. Nesta região, há alguns hotéis bastante luxuosos e alguns antiquários incríveis, porém apenas para os ricaços desta vizinhança.

Carnegie Deli - Nova York

Vire em direção ao sul da Sétima Avenida e inicie o caminho de volta. Entre as ruas 57 e 56 fica o Carnegie Hall, a legendária sala de concertos onde se apresentaram alguns dos melhores músicos do mundo. Pouco mais adiante, fica outro recanto também legendário, o Carnegie Deli, e seu inesquecível sanduíche de pastrami.

Leve dinheiro se você pretender provar esta delícia, pois eles não aceitam cartão. Dizem que muitos atores famosos e celebridades frequentam o Carnegie Deli, mas nunca vimos ninguém digno de nota por lá.

Por fim, é só retornar à Times Square e pegar o metrô para outra região da cidade, ou para seu hotel. Você também pode virar na rua 54 em sentido oeste e passar na frente do estúdio do David Letterman, na Broadway. É nesta área também que estão boa parte dos teatros da Broadway, onde alguns musicais famosos como O Rei Leão, O Fantasma da Ópera, Mamma Mia! e Wicked estão em cartaz.

Todo este circuito pode demorar uns 40 minutos, se você caminhar rapidamente, ou até umas 3 ou 4 horas, se você for parando em cada atração e restaurante do caminho.

Clique aqui para sugestões de hotéis em Nova York


View Larger Map

Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.

9 de novembro de 2014

Muro de Berlim: Checkpoint Charlie, Memorial do Muro e East Side Gallery



A construção e a queda do Muro de Berlim são repletas de significados.

Primeiro, simbolizou a divisão entre as nações capitalistas e as socialistas, que durante várias décadas empreenderam um embate ideológico e militar pelos corações e mentes do povo.
O muro era uma cicatriz exposta dividindo Berlim em duas: de um lado, uma cidade altamente controlada pela repressão comunista, sem liberdades individuais, onde imperava o medo; do outro, uma moderna cidade sob o controle de três países: EUA, Inglaterra e França, a famosa ilha capitalista no meio da Alemanha Oriental.

Por outro lado, a queda do muro em 9 de novembro de 1989 foi o sintoma mais evidente da falência do bloco soviético e deflagou uma série de movimentos populares em vários países do Leste Europeu.


O que antes simbolizada o horror de uma iminente guerra nuclear que poderia dizimar a vida na Terra, hoje é a principal atração turística de Berlim, e seus restos podem ser encontrados em várias partes da cidade; de fato, há pedaços do muro de Berlim distribuídos por todo o mundo.

Em seu auge, o Muro de Berlim tinha 155 quilômetros, contornando completamente o setor de Berlim Ocidental; em grande parte, era um muro de concreto com quase 4 metros de altura, mas em outros trechos eram apenas cercas de arame farpado, com torres de observação e soldados para a patrulha.

Conseguir atravessar o muro do lado comunista para o capitalista acabou se tornando, para muitos alemães, o passaporte para a liberdade e mais de 5 mil pessoas conseguiram escapar para Berlim Ocidental. No entanto, estima-se que quase 200 pessoas morreram nesta tentativa.

Hoje, é possível visitar alguns importantes trechos do museu, como veremos a seguir.

Checkpoint Charlie

Havia uma dúzia de postos de fronteira (checkpoints) que conectavam Berlim Ocidental com Berlim Oriental e com a Alemanha, mas, sem dúvida, o mais famoso é o Checkpoint Charlie, que ligava o setor americano à Berlim Oriental.


Atualmente, o Checkpoint Charlie é uma das atrações turísticas mais disputadas de Berlim. No posto que fica no meio da rua, há dois homens fantasiados de soldados americanos e que que posam para fotos com os turistas e cobram para carimbar o passaporte das pessoas com os carimbos de todos os antigos setores berlinenses.


A verdade é que esta área é uma bagunça, com pedestres disputando espaço com os carros, turistas tirando foto dos soldados, velhos Trabants (os carros que se tornaram os ícones da Alemanha Oriental) passando de um lado a outro. Ali perto fica o Museu do Muro de Berlim (www.mauermuseum.de), que custa a cacetada de 12,50 euros.
Do outro lado da rua, há também algumas partes do muro pintadas por artistas e painéis com o histórico do muro.

O Checkpoint Charlie fica no cruzamento da Friedrichstrasse com a Zimmerstrasse. A estação do U-Bahn mais próxima é a da Kochstrasse/Checkpoint Charlie.

Deste ponto, você pode esticara visita até o Topografia do Terror, a poucas quadras dali, ou subir até Potsdamer Platz.

Memorial do Muro de Berlim


Ao norte da cidade, encontra-se o Memorial do Muro de Berlim, um dos maiores trechos ainda preservados do muro.
Hoje é uma espécie de parque, com placas informativas sobre como era a construção do muro, algumas partes de pé e outras partes representadas por barras de metal.

Merece uma rápida passada.

Na Bernauerstrasse, extende-se por 1,4 km.

As estações mais próximas são a do U-Bahn de Bernauerstrasse e do S-Bahn em Berlin Nordbanhhof.

www.berliner-mauer-gedenkstaette.de/en/

East Side Gallery


Entretanto, o trecho mais surpreendente de todos do muro é a East Side Gallery. Uma verdadeira galeria de arte ao ar livre, com pinturas decorando 1,3 km deste trecho que sobreviveu.


É simplesmente impressionante e lindo, com grafites, imagens de protesto e desejo por libertação.

Ao longo da Mühlenstrasse. As estações mais próximas são a da S-Banh de Ostbahnhof e do U-Bahn Wahrschauer Strasse.

www.eastsidegallery-berlin.de
 
Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.

6 de novembro de 2014

Palácio de Aranjuez, uma das residências dos reis da Espanha


Durante alguns séculos, a Espanha foi uma grande potência mundial, descobrindo e conquistando meio mundo, explorando riquezas de suas colônias, muito ouro e muita prata.

Este período de exploração colonial foi o auge do país, quando a família real construiu palácios e magníficos monumentos.
O palácio real mais famoso está localizado no coração de Madri e é uma das atrações fundamentais da cidade. No entanto, nos arredores da capital espanhola, há outros locais que já foram utilizados como residência real e, a mais importante delas, encontra-se na cidade de Aranjuez, a 40 quilômetros de Madri.


Não é difícil chegar até o Palácio de Aranjuez. A opção mais óbvia é com o Cercanias, um trem metropolitano que corta a cidade e que conecta Madri com várias cidadezinhas próximas.

A linha C-3, que passa na Puerta de Sol e também na estação de Atocha, leva até Aranjuez, que é a última parada. A viagem custa 4 euros por trajeto e demora em torno de uns 50 minutos de Sol até Aranjuez.

Já na cidade, basta uma rápida caminhada para chegar na região do palácio. Confira no vídeo abaixo o nosso passeio por lá.



Tanto por dentro quanto por fora, o Palácio de Aranjuez se assemelha bastante ao Palácio Real de Madri. Há duas salas bastante impressionantes, que é uma em estilo árabe e outra toda de porcelana, mas, de resto, não apresenta tantas novidades para quem já visitou o palácio de Madri.


A entrada inteira custa 9 euros, entretanto, se você visitar o palácio às quartas e quintas-feiras, depois de determinado horário (das 15 às 18 horas de outubro a março, e das 17 às 20 de abril a setembro), a entrada é gratuita para ibero-americanos (os brasileiros, inclusive) e residentes na Europa.
A nossa recomendação é que, se você fizer questão de ir a Aranjuez, é de tentar encaixar um passeio nestes dias gratuitos, pois o palácio não fica tão cheio e é uma bela economia.


Já, nos arredores, há um lindo parque, que merece um passeio. Com pontes, estátuas, patos nadando no rio e muita tranquilidade.
Inclusive, talvez seja um dos pontos altos de Aranjuez, principalmente se o clima estiver agradável.

O Palácio de Aranjuez não é exatamente uma atração imperdível em Madri. Priorize Toledo, Ávila e, obviamente, as próprias atrações da capital.
Se sobrar um tempinho em seu roteiro, então aproveite para conhecer também Aranjuez.


Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.

3 de novembro de 2014

Hospedagem em Londres - Premier Inn Old Street


Que Londres é caríssima, todo o mundo sabe.
Que hospedagem geralmente é um dos maiores gastos de uma viagem, isto qualquer pessoa que viaja com regularidade também sabe.
Justamente por isto que a rede Premier Inn nos surpreendeu. Com um preço aceitável de pernoite, de cerca de 60 libras (mas que pode variar bastante de acordo com a época do ano ou dia da semana), com quartos limpos e silenciosos, funcionários educados e atenciosos e uma localização perfeita, bem próximo de várias atrações de Londres, com bastante opções de ônibus e metrô.

Hospedamo-nos no Premier Inn da Old Street e a experiência foi excelente. É uma região com ótimas opções gastronômicas baratas, pubs e mercadinhos, e de onde é possível ir à pé para a Torre de Londres, para a estação de trem de Liverpool St. e, se você tiver disposição, para praticamente boa parte da região central da cidade.

Confira no vídeo abaixo como é o Premier Inn.



Como estávamos com um bebê, eles nos disponibilizaram um berço sem custo adicional.
O check-in é feito numas máquinas eletrônicas, basta inserir o seu sobrenome que são entregues os cartões para os quartos.
O único ponto negativo, na minha opinião, é o fato de não haver acesso livre à internet. Você só tem direito de usar 30 minutos grátis por dia, depois deste tempo, é preciso pagar caro para isto.
Conseguimos um preço bem mais em conta porque fizemos a reserva com antecedência, sem café da manhã e sem flexibilidade de cancelamento.

Há muitas opções desta rede em Londres, por isto é importante conferir o melhor preço na data de sua viagem, já que os valores variam muito. Numa simulação para daqui dois meses, encontramos quartos a partir de 39 libras.

O Premier Inn está aprovadíssimo, inclusive a rede foi escolhida como a segunda melhor do Reino Unido, atrás somente da Sofitel e na frente de muitos outros hotéis 5 estrelas. É uma grande vitória para uma rede com preços tão convidativos.

Premier Inn
www.premierinn.com

Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.



guias NY .PDF