11 de setembro de 2013

Roteiro rápido e básico para primeira viagem à Europa - Parte 3: Amsterdã



Por Alexandre Pires

Amsterdã

Cidade de grandes artistas e conhecida pelos seus canais (a “Veneza do Norte”).
Amsterdam (ou Amsterdã ou Amsterdão, como preferir) oferece uma ampla gama de opções para quem visita a cidade, mesmo que seja durante só um fim de semana.
48 horas de turismo na capital holandesa podem ser uma grande oportunidade para introduzir uma cultura incrível. A arquitetura típica, os bairros de ruas estreitas e os terraços cheios de gente o ano todo fazem o turista querer ficar mais e mais… Vale destacar que Amsterdã não é uma cidade especialmente barata.

Se a disposição física permitir explorar a cidade de bicicleta é um clássico em Amsterdã. Por €6,50 (R$ 16) pode-se alugar uma bike simples por 3 horas (ou €9,50 por 24 horas). Há outras opções, como híbridas e a típica Tandem para duas pessoas. A “Rent A Bike Damstraat” fica bem no centro de Amsterdã, a cinco minutos caminhando da Estação Central (Centraal station).
Atenção: para alugar você precisa deixar um cartão de crédito ou seu passporte + €25 por bike. Fica aberto diariamente das 9h às 18h.

No início da manhã, você pode visitar o bairro conhecido como Negen Straatjes, com suas 9 ruas estreitas ao redor da Estação Central (Grachtengordel). Além de apreciar o belo estilo barroco holandês, é um variado centro comercial, com lojas de diferentes tamanhos e interesses.

Seguindo por ali, você vai se deparar com a junção de quatro canais, que dará no bairro Jordaan. É neste bairro que está a internacionalmente famosa Casa de Anne Frank. O prédio onde ela e sua família permaneceram escondidos nos anos da ocupação nazista dos Países Baixos durante a 2ª Guerra Mundial transformou-se num dos museus mais visitados da cidade. O ingresso custa €8,50/R$ 21 e funciona diariamente, das 9h às 21h (de março a setembro, até 22h).

À tarde, a dica é passar pela Praça Dam (Dam platz), a praça principal da cidade e que sedia grandes monumentos como o Palácio Real, a gótica Nieuwe Kerk (Nova Igreja), o Museu de Cera Madame Tussaud´s e o Monumento Nacional (em homenagem às vitimas da 2ª Guerra). Além da tradicional sessão de fotos, em meio às dezenas de pombos, vai dar pra fazer umas comprinhas no Palácio Magna Plaza Shopping.

Para encerrar o dia, com a animação característica de Amsterdã, não dá pra deixar de passar pelo Distrito da Luz Vermelha (De Wallen). A zona onde a prostituição é legalizada atrai turistas que fazem excursões para ver as mulheres oferecendo seus “serviços” nas janelas das casas.

O clima liberal que é a cara de Amsterdã se completa com as famosas coffee shops: drogas leves como a maconha são vendidas para consumo no local e, para muitos, torna-se o principal motivo da viagem.

Depois de uma boa noite de sono, o ideal é recomeçar o dia de forma leve. Para isso, faça uma visita ao Bloemenmarkt, tido como o único mercado de flores flutuante do mundo. As tendas ficam ao longo do Singel Canal e formam uma das vistas mais bonitas de Amsterdã. E mais cheirosas, claro.
O destaque fica por conta das lindas tulipas que fazem a fama da Holanda – a “Rota das Tulipas” é a preferida dos ciclistas na primavera. Um bom suvenir são os bulbos das tulipas, para cuidar e fazê-los florescer em casa. Em algumas bancas, dá comprar uma dúzia por 5 euros.

Para a hora do almoço, se o tempo ajudar, não deixe de fazer um piquenique no Vondelpark, o parque mais famoso da cidade. Com muita área verde, vale sentar e apreciar os belos prédios à volta, que incluem os emblemáticos Rijksmuseum, Filmmuseum e Van Gogh.

O Rijksmuseum é o museu nacional dos Países Baixos e parada obrigatória. Dedicado às artes e à cultura, expõe coleções deslumbrantes, incluindo obras de Frans Hals, Johannes Vermeer e Rembrandt (como a “Ronda Noturna”). Abre todos os dias das 9h às 18h, e o ingresso custa €12,50/R$ 31.
Dedicado à obra do mestre holandês, com mais de 200 telas, desenhos e cartas, o Museu Van Gogh abre diariamente das 10h às 18h (sexta até 22h) e o ingresso custa €14/R$ 35.

A fim de mais uma noite de balada em Amsterdã? Opções não faltam! É só rumar ao Reguliersdwarsstraat que a diversão está garantida. Conhecida simplesmente como a “Rua dos Pecado”, com seus 200 metros de bares, restaurantes e boates que atraem o público gay e os alternativos de plantão.

Onde ficar?

St. Christopher’s Inn-The Winston
Quartos com decoração cheia de estilo. Mais central impossível, ao lado do Distrito da Luz Vermelha, Praça Dam e tudo mais. O bar e a boate próprios são hit entre os locais. Café-da-manhã incluso.

Stayokay Amsterdam Zeeburg
Cenário clássico com instalações super-modernas. Fica a leste do centro, com ótimas conexões de transporte (15min de bondinho). Vasto café-da-manhã incluso.

The Bulldog
Um dos albergues mais populares da cidade, ideal para mochileiros. Super central, fica a 5 minutos da Praça Dam. Café-da-manhã incluso mais um bar com mesa de sinuca garantem a diversão.

Hostel Van Gogh
Cercado dos melhores museus (Rijks, Van Gogh, Arte Moderna), tem uma cara de hotel. Conta com WiFi gratuito, ar condicionado e cozinha para os hóspedes.

The Flying Pig Downtown Hostel
A 2 minutos da estação central, você estará pertinho da Luz Vermelha, da Dam, da Casa de Anne Frank etc. Café-da-manhã e roupa de cama inclusos. Tem festas com DJs durante a semana.


Na próxima dica, veremos sobre Barcelona.

Alexandre Pires
Marketer
Formado pela Universidade Paulista, atua como Consultor de Marketing e Negócios.
Na área médico-hospitalar, pertence a uma equipe de avaliadores com foco na qualificação dos serviços de saúde prestados em todo o território brasileiro.

http://br.linkedin.com/pub/alexandre-luis-moreira-pires/16/b7/38/

Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.

Postar um comentário



guias NY .PDF