6 de outubro de 2012

Dicas da Leitora - Nova York com Ana Carolina Vieira


(foto por: Henry Alfred Bugalho)

Oi, mãos de vaca!
Descobri o site no ano passado.
Estive em Nova York, levando, é claro, o meu guia na bolsa.
Me ajudou muito a escolher o que fazer e o que não fazer. Mas nunca estamos livres de algumas surpresas ou furadas.

Por isso, gostaria de compartilhar algumas informações.

WOODBURY OUTLET

(foto por: Henry Alfred Bugalho)

Acho o Woodbury muito bom para quem quer fazer umas comprinhas.

Como o Henry já esclareceu, se for para comprar só uma camisa e um tênis não vá.

Para quem vai, existem outros descontos além dos já oferecidos nas lojas. Há um livrinho de descontos que me parece que lá é pago, mas se for com o transporte do City Sights ou da Gray Line sai de graça. Mas isso é para quem não é mão de vaca.

Mão de vaca mesmo faz o seguinte: Cadastre-se no VIP CLUB do Premium Outlets (www.premiumoutlets.com/woodburycommon/), imprima o voucher para pegar o livrinho de graça, e ainda imprima os cupons de desconto para associados. Isso mesmo, quem se inscreve no site tem descontos muito melhores.
Felizmente descobri isso antes de ir e pude constatar que os descontos do site são bem melhores mesmo. É que na maioria das vezes os descontos do livro são em valores fixos, tal como "ganhe US$25 de desconto nas compras acima de US$200", e os descontos do site são na maioria percentuais tal como "ganhe 25% de desconto nas compras acima de US$200", ou seja US$50. (E a malandragem é juntar suas compras com as dos amigos para atingir o valor do desconto.)

PACOTES TURÍSTICOS: 

Comprei o pacote que incluía 4 dias de utilização daqueles ônibus hop-on hop-off por toda Manhattan, o Top of the Rock, ida ao Woodbury, passeio de barco, tur do Brooklyn, etc, por US$109. Pelo que estava incluído até valia a pena pelo preço, mas sinceramente foi desnecessário.

O passeio de ônibus é totalmente dispensável e não dá para usar como meio de transporte. Eles só funcionam até as 5 da tarde na maioria dos roteiros. Além disso, peguei vários engarrafamentos, que poderiam ter sido evitados com o metrô.

(foto por: Henry Alfred Bugalho)

O Top of the Rock foi legal. Vale a ida.

O ônibus que leva ao Woodbury foi bom também. É confortável e prático e para as mais consumistas, como eu, dá para levar mala para enfiar as coisas e não ter que carregar sacolas o dia inteiro. Melhor que se ferrar indo de metrô. Acho que a economia nesse caso não vale o esforço.

O resto não deu tempo de fazer. Mas o que eu paguei pelo pacote já saiu mais barato do que se eu tivesse pago separadamente o que fiz.

Conclusão: Quem quiser MUITO fazer esses passeios compre pacote com tudo, porque sai mais barato. Quem não faz questão, compre o só o Top of the Rock (ou só o Empire State, ou nenhum deles, dependendo da preferência) e gaste o seu rico dinheirinho no Woodbury.

PLANEJAMENTO DA VIAGEM: 


Como boa mão de vaca, aprendi que uma viagem bem planejada é tudo. Por isso, e com a experiência da última viagem, decidi passar o próximo Reveillon 12/13 em NY.
Comecei a me organizar com quase 1 ano de antecedência.

Agora posso ver que realmente fiz bem.

Dessa vez, diferentemente do que fiz da vez passada, comprei passagens da Avianca com escala em Bogotá. Custaram em março R$1637. Como quanto mais próximo mais caro fica, em maio já estavam custando cerca de R$3200. Atualmente não há mais assentos disponíveis para esse vôo.

Reservei o hotel New York Inn, na 8th av. com a 47th st. Descobri que qualquer hotel na semana entre o natal e o Reveillon é muito mais caro, por isso programei minha chegada para o dia 30/12. Assim poderei passar a virada lá e economizarei nas diárias, que ficam mais baratas após a virada. Como eu reservei o hotel desde fevereiro, ou seja, com 10 meses de antecedência, consegui diárias pós reveillon por US$99. As diárias dos dias 30 e 01 ficaram em torno de US$160 cada e a do dia 31 uns US$240. Vi depois que no mesmo hotel, que é um dos mais baratos, a diária do dia 31 sairia em torno de US$400 para o mesmo tipo de quarto que eu reservei. A diferença entre a reserva feita com muita antecedência e a reserva feita entre maio e junho seria de mais ou menos US$600 no total de 8 diárias, que foi o que eu reservei. Absurda a diferença! Atualmente também não há mais quartos disponíveis para reserva. Não sei se o hotel é bom, mas é barato e bem localizado. Para mim é o que basta!

Sabemos que há promoções de última hora, mas nesse caso dependerá de sorte e nem sempre será possível escolher uma data exata ou um determinado hotel, etc.

Aproveitei que o vôo tem escala e já me programei para passear em Bogotá. No vôo de volta sairei de NY por volta meia noite, chegarei em Bogotá de manhã bem cedo e sairei de lá só de noite. Desta forma terei um dia para conhecer um lugar novo.
Já pesquisei que ir do aeroporto até a parte turística não é caro e demora uns 30 minutos. No centro turístico tem um passeio com guia de graça (tipicamente mão de vaca) implementado pelo governo como forma de atrair o turismo para a cidade.
O ideal é reservar o horário para garantir, mas eles só aceitam reserva na véspera ou no próprio dia, que pode ser pessoalmente, por telefone ou e-mail.

Informações em

www.colombia.travel/po/turista-internacional/pontos-turisticos-aonde-ir/pontos-toristicos-bogota/noticias-de-bogota/523-passeios-turisticos-para-pedestres-uma-nova-opcao-em-bogota

Dura umas 2 horas e parece bem legal. É claro que só farei isso depois de despachar as minhas malas para o Rio. Não sou nem louca passear de malas por Bogotá. Mas pelo o que eu pesquisei eles já estão acostumados com isso então penso que não há problemas em despachar as malas logo cedo.

(foto por: Henry Alfred Bugalho)

Em relação ao transporte percebi que dependendo da situação vale a pena até mesmo alugar um carro. Mesmo que não seja muito "mão de vaca" acaba saindo mais barato.
O ida do JFK para Manhattan pode ser por metrô (airtrain), airlink shuttle (que são umas vans operadas pelas empresas de turismo) ou taxi. O Henry também já explicou isso.
O metrô é baratinho, mas desgastante e sem condições de carregar muitas malas.
O shuttle para quem vai com duas malas grandes (condição máxima de vôo internacional) custa em torno de US$35 para cada pessoa (pela cotação que eu fiz no site). Então se estiver sozinho até vale, porque o taxi custa em torno de US$50.
Como eu vou com o meu marido e nós não vamos só de mochila, descartei essas duas opções.
Restou o táxi. Na viagem passada, em que éramos 3 pessoas e cada um com 2 malas, acabamos pagando um táxi, daqueles pretos grandões, porque era o único em que caberíamos. Pagamos US$80 no total. Para 2 pessoas um táxi normal que custaria uns US$50 seria suficiente. Dividindo por cabeça no final acaba que dá quase no mesmo.

O que eu fiquei pensando é que um aluguel de um dia inteiro de carro custa em torno de US$80. Então porque não gastar quase o mesmo e ter um carro 24 horas à disposição para ir a lugares diferentes.

No meu caso, como já disse que não dispenso uma ida ao Woodbury, vou aproveitar para ir lá direto do aeroporto. Como somos desta vez só eu e meu marido, ao invés de gastar US$50 de taxi e mais US$84 de tranfer para lá (US$42 para cada) vou gastar só US$100 no aluguel do carro (ficou um pouco mais caro por causa da data do aluguel e do GPS). Se forem 3 ou 4 pessoas fica melhor ainda. Além disso você não fica dependendo dos outros. Se der na telha para em qualquer lugar, volta na hora que quiser,... Lembrando que a locação é válida por 24 horas.

Quem não curte compras, veja se não há outro lugar de seu interesse fora de Manhattan. Faça as contas e verifique se compensa alugar um carro ou usar outro tipo de transporte.

Para quem gostou da ideia vai a dica: 

Para não correr riscos de chegar muito tarde e a loja estar fechada, solicite a entrega do carro em alguma loja 24 horas. Caso contrário você provavelmente terá que dormir no carro, porque eu não saberia onde enfiar um carro de madrugada em Manhattan. Pelo que sei, até o momento somente a Avis e a Hertz tem lojas 24 horas em midtown. O preço que eu mencionei é da Avis. A Hertz estava o dobro do preço quando eu fiz a cotação.
Se for reservar, faça pelo telefone. Os sites dão preços aparentemente mais baratos, mas colocam tudo como opcional, inclusive seguro (a não ser que você assuma o risco de sair passeando com um carro sem seguro). Pelo telefone eles conseguem umas tarifas diferenciadas com seguro, GPS, sem taxa de condutor adicional, e até isentam da taxa de menor de 25 anos se o pagamento for antecipado. Isso mesmo, condutores menores de 25 anos, como eu, pagam taxa extra (em torno de US$20 a US$30).

Enfim, acho que é só isso.
No mais, sigam as dicas do site e do guia.
Quando voltar conto sobre a experiência em Bogotá.

Até mais!
Ana Carolina Vieira


Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.


6 comentários via BLOGGER
comente também
  1. Já fui para Nova York por Bogotá e nem na ida, nem na volta eu vi minhas malas. Mas elas chegaram inteirinhas. Só se mudaram as regras agora, mas como não é escala para dentro da Colômbia, eles redirecionam a mala assim que ela chega.

    Infelizmente não passeei. Quase morri de tédio nas 12 horas de espera da ida. Estava sozinha e meu pai não deixou que eu passasse nem pela imigração. Foi horrível. Na volta estava com minhas irmãs e uma delas desmaiou na fila da imigração. O pessoal do aeroporto foi bem atencioso conosco e até a levaram em um médico lá perto. Mas depois disso não tinha mais clima para passear. Minhas irmãs sim passearam na ida, e muito. Por coincidência elas foram quase na mesma data que você, 31/12.

    ResponderExcluir
  2. É bem melhor mesmo viajar com descontos, uma grande economia no final da viagem... Pode parecer pouco, mas no final das compras deve dar para sentir a diferença.
    Mas o segredo está justamente aí: planejar com antecedência. Fiquei boba com os preços que você pagou antes e com o que você pagaria agora. Quanta economia! Quando eu for viajar, já sei o que fazer. Mas muita antecedência acho que geraria em mim muita expectativa e medo de não dar certo, haha
    Fica melhor ainda alugando o carro mesmo, mas o truque é este: planejar e colocar mesmo na ponta do lápis quanto sairia para cada pessoa em cada opinião. São uns minutos de contas, mas muita economia.
    Excelente post!

    ResponderExcluir
  3. É o seguinte, quero muito passar um mês em NYC, porém minhas férias de trabalho só podem acontecer em Janeiro, e sendo eu uma boa baiana não estou nenhum pouco acostumada com frio, por isso tenho medo de ir pro hemisfério norte durante o inverno e acabar não valendo a pena.
    Quando viajo gosto mesmo é de andar na rua, ao ar livre, com calma, etc.. Então minhas perguntas são:

    1- Vou morrer congelada e só pensar em voltar pro apartamento o tempo todo ou dá pra curtir a viagem, passear, fazer compras e conhecer a cidade?
    2- Roupas apropriadas pra esse tipo de frio sai muito caro ou o investimento vale a pena pra quem quer passar um mês em NYC (e já vai está gastando mesmo)?
    ps. A última pergunta foi gerada depois de ler posts que dizem que um par de luvas na Macy's custa U$85. Fiquei imaginando o restante das peças!

    Valeu gente, obrigada!

    ResponderExcluir
  4. Achei legal tudo o que voce disse, mas faria diferente.
    Primeiro que nao da pra confiar em ir ao mesmo dia no Woodburry, estive em NY semana passada e demorei mais de 3hrs para conseguir passar pela imigracao. Alem disso, ir ao Woodburry nevando deve ser pessimo. Preferiria ir ao Jersey Gardens.
    E cuidado absoluto ao andar pela estrada com a neve!
    Veja se vale mesmo a pena!!
    Valeu

    ResponderExcluir
  5. Ah e nao deixe tambem de embalar a mala naqueles plasticos. Deixar a mala por 12hrs no aeroporto eh pedir para ser roubado!

    ResponderExcluir
  6. Gostaria de saber como foi sua hospedem no hotel New York Inn. Valeu a pena? Quais eram os serviços oferecidos?

    ResponderExcluir



guias NY .PDF