20 de abril de 2014

Europa de Trem com o passe Interrail - Genebra


Para a primeira etapa da nossa viagem de trem pela Europa, resolvemos seguir de avião até Genebra.
Fomos com a Easyjet e foi uma grata surpresa. O preço da passagem foi de 30 euros por pessoa, ou seja, eu, minha esposa e o bebê (que também pagava, mesmo indo no colo), foi um total de 90 euros entre Madri e Genebra.


Após um voo rápido de uma hora e meia, estávamos no aeroporto de Genebra, de onde parte um trem gratuito até o centro da cidade. Não se esqueça de pegar o bilhete na máquina após passar pela esteira das bagagens.

Os nossos planos era passar uma tarde ali e, no fim do dia, seguir de trem para Estrasburgo, na França, onde os preços de hospedagem eram quase a metade dos de Genebra.

Uma tarde em Genebra

A primeira providência foi obter um mapa da cidade, o que fizemos ainda no aeroporto.
Assim que chegamos na estação de trem, perdemos uns 40 minutos procurando um armário para deixarmos as malas e, como a estação está passando por uma grande reforma, está tudo uma bagunça.
Os armários estavam numa das plataformas de trem, porém só aceitavam moedas de francos e o caixa automático só dava notas, foi preciso trocar alguns francos em uma loja.
O preço dos armários para 24 horas era de 6 francos (aproximadamente 5 euros) e não havia como deixar por menos tempo do que isto.
Também passamos nos balcões dos trens suíços para pedir informação sobre como utilizar os passes da Interail e quais eram os horários para Estrasburgo. O processo era muito simples, bastava embarcar no trem e seguir, sem reserva, sem nada. Ótimo!


Da estação de trem até o centro de Genebra leva uns 10 minutos de caminhada. Como já era quase hora do almoço, compramos uma deliciosa focaccia de gorgonzola na rede de mercados Coop, na Rue du Commerce 5, logo após termos cruzado a Pont des Bergue. Com o refrigerante, saiu por 12 francos (mais ou menos 10 euros) e serviu duas pessoas.


O centro histórico da cidade é pequenininho e cheio de escadas. Como estávamos com carrinho de bebê, precisamos fazer um contorno maior até encontrarmos um caminho menos íngreme.
A grande atração deste setor é, sem dúvida, a Catedral Saint-Pierre Genève, e foi uma das precursoras da reforma protestante na Suíça, encabeçada por João Calvino em 1535. É interessante reparar em seu estilo sóbrio, sem estátuas ou pinturas, em oposição ao que se encontra habitualmente nas igrejas católicas.
Duas horas são mais do que o suficiente para explorar o centro de Genebra.


Iniciamos a descida em direção à Rue du Marché, uma movimentada artéria comercial, com muitos restaurantes, lojas e alguns centros comerciais.
Enfim, como a tarde estava bastante agradável, sentamo-nos um pouco no Jardin Anglais, de onde se tem uma ótima vista do Jato D´Água, um dos símbolos da cidade, uma fonte que atinge 200 metros de altura.

Retornamos para a estação de trem pela Pont du Mont-Blanc, com a linda vista dos Alpes distantes e do Lago Genebra.

Passamos num mercadinho dentro da estação para comprarmos alguns mantimentos para a viagem e gastamos 7 francos em água e sanduíches.

Apesar de termos ficado por somente algumas horas e sabermos que havia muito mais para se fazer em Genebra, não nos arrependemos de termos seguido naquela mesma noite para a França, pois Estrasburgo seria uma das cidades mais lindas pelas quais passaríamos.



Importante: favor ler as Perguntas Frequentes - FAQ.

Postar um comentário



guias NY .PDF